Cartões de Memoria

Cartão de memória ou cartão de memória flash é um dispositivo de armazenamento de dados com memória flash utilizado em videogames, câmeras digitais, telefones celulares, palms/PDAs, MP3 players, computadores e outros aparatos eletrônicos. Podem ser regravados várias vezes, não necessitam de eletricidade para manter os dados armazenados, são portáteis e suportam condições de uso e armazenamento mais rigorosos que outros dispositivos baseados em peças móveis.

O uso de equipamentos móveis cresce a cada dia e isso está fazendo com que os cartões de memória sejam cada vez mais utilizados. Esses dispositivos possuem uma determinada capacidade de armazenamento de dados e são usados para guardar e transportar arquivos de câmeras digitais, MP3Players, palmtops, entre outros. Este artigo abordará de maneira rápida os tipos de cartão mais conhecidos e a tecnologia usada neles: a memória Flash.

010.jpg0111.jpg

Memória Flash

Memória Flash é uma memória de computador do tipo EEPROM que permite que múltiplos endereços sejam apagados ou escritos numa só operação. Em termos leigos, trata-se de um chip re-escrevível que, ao contrário de uma RAM, preserva o seu conteúdo sem a necessidade de fonte de alimentação. Esta memória é comumente usada em cartões de memória drives flash, USB e em iPod .

Também vem começando a ser chamado de disco sólido pelo grande futuro que tem pela frente, já que além de ser muito mais resistente que os discos rígidos actuais, apresenta menor consumo, maiores taxas de transferência, latências e peso muito mais baixos. Chega a utilizar apenas 5% dos recursos normalmente empregados na alimentação de discos rígidos. Já é utilizado em notebooks, o que será expandido para a versão desktop nos próximos 5 anos

Os cartões de memória são essencialmente baseados na tecnologia Flash, um tipo de memória baseado no EEPROM (Electrically-Erasable Programmable Read Only Memory) desenvolvido pela Toshiba nos anos 1980. Os chips de memória Flash são parecidos com a memória RAM (Random Access Memory) usada nos computadores, porém suas propriedades fazem com que os dados não sejam perdidos quando não há mais fornecimento de energia (por exemplo, quando a bateria acaba ou o dispositivo é desligado). Fazendo uma comparação grosseira, o conceito de gravação de dados em um chip Flash é semelhante ao processo de gravação de dados em mídias CD-RW: de acordo com a intensidade de energia aplicada (no caso do CD-RW, laser) há gravação ou eliminação de informações.

A memória Flash consome pouca energia, ocupa pouquíssimo espaço físico (daí ser ideal aos dispositivos portáteis) e costuma ser resistente, ou seja, bastante durável. O grande problema da memória Flash é seu preço elevado, o que faz com que a maioria dos usuários utilizem chips de até algumas dezenas de MB.

A tecnologia Flash faz uso de semicondutores (solid state), ou seja, não tem peças, o que evita problemas de causa mecânica. Juntando isso a recursos de proteção, como ECC (Error Correction Code), a memória Flash se mostra muito confiável.

Flash NOR e Flash NAND

Existem dois tipos principais de memória Flash, NOR e NAND:

NOR: a memória Flash NOR (Not OR) permite acesso às células de memória de maneira aleatória, mas com alta velocidade. Em outras palavras, o tipo NOR permite a cessar dados em posições diferentes da memória de maneira rápida, sem necessidade de ser sequencial. O tipo NOR geralmente é usado em chips de BIOS, telefones celulares e em placas de rede especiais;

NAND: por sua vez, a memória Flash NAND (Not AND) também trabalha em alta velocidade, porém faz acesso sequencial às células de memória e trata-as em conjunto, isto é, em blocos de células, em vez de acessá-las de maneira individual.

Os diversos tipos de cartões de memória

Embora sejam baseados na mesma tecnologia, existem cerca de uma dezena de tipos de cartões de memória. Qual o motivo dessa quantidade? Ao contrário do que houve com outras tecnologias, como o USB e o CD, os fabricantes de memória não entraram em um acordo para trabalharem em um padrão único de cartão. Como conseqüência, o mercado encontra hoje uma variedade de tipos desse dispositivo. Os mais comuns são abordados a seguir.

CompactFlash (CF)

O cartão de memória CompactFlash foi desenvolvido pela empresa SanDisk em meados de 1994 e acabou sendo o primeiro tipo a se popularizar. Trata-se de um cartão de tamanho 42.8 mm x 36.4 mm x 3.3 mm e que teoricamente pode armazenar até 8 GB de dados.

Esse tipo de memória possui um controlador de memória Flash e também uma interface IDE (Integrated Device Electronics) semelhante à usada em HDs. Geralmente, os cartões CompactFlash usam memória Flash tipo NAND.

O Compact Flash é mantido pela CompactFlash Association e sua tecnologia de construção também é aplicada em cartões Wi-Fi (redes sem fio), modems, etc.

012.jpg

SmartMedia (SM)

O cartão de memória SmartMedia (cujo nome original é Solid State Floppy Disk Card – SSFDC) chama a atenção logo de início por ser parecido com os já defasados disquetes de 3.5″. Lançado pela Toshiba em meados de 1995, esse tipo de cartão tem tamanho de 45 mm x 37 mm x 0,76 mm e sua fabricação é simples se comparada com as tecnologias concorrentes. Essa característica deve-se ao fato desse cartão não possuir circuitos controladores, reduzindo seu custo. Devido a isso, as funções de controle tiveram que ser inseridas nos equipamentos que trabalham com SmartMedia. Isso representa uma desvantagem na questão do aumento de capacidade, pois estes aparelhos “não sabem” trabalhar com cartões que armazenam mais dados do que o programado em seus circuitos.

Como conseqüência, os cartões SmartMedia mais comuns possuem tamanho de até 128 MB e estão cada vez mais em desuso. A Fujifilm, a Olympus e a Toshiba foram as empresas que mais fizeram uso dessa tecnologia. No entanto, essa utilização ocorreu quase que exclusivamente em câmeras digitais.

013.jpg

MultiMedia Card (MMC)

Lançado em 1997 através de uma parceria entre a SanDisk e a Siemens, O cartão de memória MultiMedia Card é um dos mais pequenos existentes (24 mm x 32 mm x 1,4 mm) e mesmo assim é capaz de armazenar quantidades altas de MB. No momento em que este artigo era escrito, já existiam cartões MMC com 2 GB.

Esse tipo de cartão foi desenvolvido inicialmente para telefones celulares e pagers, mas só se tornou conhecido e, conseqüentemente, utilizado em câmeras digitais, MP3Players e outros dispositivos, depois que a PalmOne o inseriu em seus handhelds (computadores de mão). O tipo de Flash geralmente utilizado no MMC é o NAND.

014.jpg

Secure Digital (SD)

Lançado no final de 2001, o cartão Secure Digital é derivado do MMC. Seu desenvolvimento se deve ao fato da indústria detentora de direitos autorais reclamar do MMC por este permitir livremente a troca de qualquer tipo de arquivo, o que para a indústria fonográfica, por exemplo, representa risco de pirataria.

Diante disso, a Toshiba trabalhou numa nova versão do MMC, e essa tecnologia recebeu recursos contra cópias de materiais protegidos por direitos autorais e também um barramento de transferência de dados mais rápido que o do MMC (em cerca de 4 vezes). Além disso, os cartões SD contam com uma pequena trava que impede a gravação ou eliminação acidental de informações (note o botão amarelo na parte esquerda do cartão SD visto abaixo).

Os cartões SD também possuem tamanho reduzido (24 mm x 32 mm x 2,1 mm) e, no momento em que este artigo era escrito, tinham tamanho máximo de 2 GB. Existem dispositivos que trabalham com SD que também são compatíveis com MMC. O tipo de Flash utilizado no SD é o NAND.

015.jpg

MemoryStick

O cartão MemoryStick foi desenvolvido pela Sony e é usado principalmente em câmeras fotográficas e filmadoras digitais. Embora seja menor que o CompactFlash e o SmartMedia, seu tamanho não é dos mais reduzidos: 50 mm x 21.5 mm x 2.8 mm.

O MemoryStick também conta com proteção contra gravação ou eliminação acidental de arquivos (apenas em uma versão conhecida como MagicGate). Ainda, ele pode ser utilizado em versão ROM (Read-Only Memory), ou seja, seu conteúdo pode apenas ser lido, mas não apagado (como acontece com os CDs). Esse recurso é interessante para a distribuição de softwares.

016.jpg

O cartão MemoryStick pode armazenar até 128 MB de dados. Uma versão conhecida por MemoryStick Pro trabalha com capacidades que vão de 256 MB à 2 GB.

Existe ainda uma versão conhecida por MemoryStick Duo, lançada em 2001. Por ser menor que os cartões MemoryStick convencionais, a versão Duo não é compatível com aparelhos mais antigos.

017.jpg

eXtreme Digital (xD-Picture)

O cartão de memória xD-Picture é um dos mais recentes. Foi disponibilizado em 2002 pela Fujifilm e Olympus (sendo praticamente usado apenas em câmeras digitais destas empresas) e sua fabricação geralmente é feita pela Toshiba (o que deixa seu preço elevado). Teoricamente, a capacidade dos cartões xD-Picture pode chegar a até 8 GB. Seu tamanho é o menor encontrado até agora: 20 mm x 25 mm x 1.7 mm.

Visto como um substituto do SmartMedia, o xD-Picture também não tem circuitos controladores internos, o que significa que aparelhos mais antigos não serão capazes de ler cartões do tipo com nova capacidade de armazenamento. Por não ser muito popular, as empresas envolvidas neste tipo de cartão tiveram até que desenvolver adaptadores para que o xD-Picture seja lido em interfaces PC-Card (antiga PCMCIA) e Compact Flash.

018.jpg

Aparelhos leitores de memória

Para permitir que os cartões de memória pudessem ser lidos diretamente no computador, alguns fabricantes criaram aparelhos leitores. Geralmente, esses produtos são compatíveis com os formatos mais conhecidos de cartões.

Um exemplo é o leitor Transcend, fabricado pela W TECH. Esse aparelho lê cartões CompactFlash, Secure Digital, MultiMedia Card, SmartMedia, MemoryStick (incluindo a versão Pro), MemoryStick Duo e IBM Microdrive (uma espécie de HD com tamanho reduzido).

019.jpg

Um dos motivos que levou ao desenvolvimento deste artigo no InfoWester foi a quantidade de tipos de cartões de memória disponíveis no mercado. Com tantas opções, os consumidores podem se confundir na hora de comprar uma cartão. Por isso, a dica é dar preferência a aparelhos que fazem uso de cartões mais conhecidos. Além disso, antes de fazer a compra de um cartão, verifique qual o tipo utilizado em seu aparelho. Na dúvida, sempre entre em contato com o fabricante.

Escrito por Emerson Alecrim – Publicado em 12/06/2005 – Atualizado em 12/06/2005

http://www.infowester.com/cartoesflash.php